Home    
APN no Facebook APN no Linkedin APN no Instagram APN no Youtube APN no ISSUU
 
Diabetes Mellitus  

dA maioria dos alimentos que ingerimos são tranformados em glicose, uma forma de açúcar, que é utilizada como fonte de energia para os nossos músculos e tecidos. O nosso corpo necessita de uma hormona, produzida pelo pâncreas, para transportar esta glicose para os nossos músculos e tecidos. Sem esta hormona, denominada insulina, o nosso corpo não obtém a energia que necessita.
Numa pessoa com diabetes, ou o seu pâncreas não produz a insulina que precisa, ou o seu corpo não pode usar a sua própria insulina de forma eficaz, o que resulta na quantidade de glicose no sangue elevada. Esta elevação de glicose ou de "açúcar no sangue" é chamado de hiperglicemia. Altos níveis de glicose no sangue podem levar a complicações graves de saúde.


TIPOS DE DIABETES

Diabetes tipo 1

Conhecida também como insulino-dependente ou infantil, é o resultado de uma auto-destruição das células do pâncreas, levando geralmente a um défice ou ausência de total da produção de insulina. Os sintomas, que podem aparecer repentinamente, incluem: excessiva excreção de urina (poliúria), sede (polidipsia), fome constante, perda de peso repentina, dificuldades de visão, cansaço. Geralmente ocorre em crianças e jovens, apesar de poder ocorrer em qualquer idade e requer a administração diária de insulina para controlo de níveis de glicose no sangue, sem insulina estas pessoas podem morrer.

Diabetes tipo 2

Chamada normalmente como não insulino-dependente ou diabetes do adulto, resulta de um defeito na secreção de insulina, levando à resisência à insulina. Os sintomas são semelhantes aos da tipo 1, mas frequentemente não são tão marcados, o que faz com que esta doença seja diagnosticada alguns anos após o seu início, quando já surgiram complicações. Compreende cerca de 90% da população com diabetes pelo mundo inteiro, e tem como principais causas o excesso de peso e a falta de actividade física. Na maioria das vezes não necessita de insulina apenas de modificação de estilos de vida e toma de medicamentos. Com o aumento do excesso de peso em crianças, é cada vez mais comum em cr

ianças e adultos jovens.

Diabetes Gestacional

Ocorre quando existe uma hiperglicemia, com início durante a gravidez e apresenta sintomas são semelhantes ao da diabetes tipo 2. Esta diabetes é mais frequentemente diagnosticada aravés da triagem pré-natal do que propriamente pelos seus sintomas.

Outros tipos de diabetes

Podem surgir devido a outras causas, tais como por exemplo: defeitos genéticos nas funções das células ou na acção da insulina, doenças do pâncreas exócrino como a fibrose cística, após transplante de órgão, induzida por medicamentos tomados por exemplo no tratamento da SIDA, entre outras.

g

COMPLICAÇÕES COMUNS DA DIABETES

A Diabetes é uma doença que requer um controlo adequado para evitar complicações como doença cardiovascular, insuficiência renal, cegueira e danos no sistema nervoso.

Complicações a curto prazo:

- Hipoglicemia (Baixas de glicemia no sangue)
- Cetoacidose
- Acidose láctica (acontece essencialmente na diabetes tipo 2)
- Infecções bacterianas e fúngicas (pessoas com diabetes estão mais suscepíveis e desenvolver este tipo de infecções)

Complicações a longo prazo:

- Retinopatia (sendo uma das maiores causas de cegueira nas sociedades civilizadas)
- Nefropatia (estes doentes numa elevada proporção apresentam insuficiência renal)
- Neuropatia (resultam em perda de sensibilidade nos pés ou mãos ou de outras partes do corpo, levando a lesões causadoras de úlceras e posterior amputação)
- Doenças Cardiovasculares (o risco de desenvolver doenças cardiovasculares é 2-3 vezes superior em doentes com diabetes
- Amputação de membros.

COMO REDUZIR A PREVALÊNCIA DE DIABETES?

Simples medidas de modificação de estilos de vida, têm mostrado efeitos positivos e efectivos no risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2. Para evitar o desenvolvimento de diabetes tipo 2 e as suas complicações, as pessoas devem:
- Alcançar e manter um peso corporal saudável
- Ser fisicamente activas, realizarem pelo menos 30 minutos de exercício físico regular, de intensidade moderada, na maioria dos dias da semana
- Realizar uma alimentação saudável
- Evitar o uso de tabaco, já que o tabaco aumenta o risco de doença cardiovascular.

ALIMENTAÇÃO DOS DIABÉTICOS

A alimentação dos diabéticos deve ser baseada nos princípios de uma alimentação saudável, deve ser completa, variada e equilibrada, não existindo assim alimentos proibidos.

Alimentos desaconselhados

*Os diabéticos não necessitam excluír da sua alimentação açúcar ou alimentos ricos em açúcar (produtos de pastelaria, refrigerantes, chocolates), no entanto, devem ter noção que estes alimentos além de serem de absorção rápida e contribuírem para um elevação da glicose no sangue, são pobres nutricionalmente e ricos em calorias, sendo responsáveis por o aumento de peso e consequências a ele associadas. Numa alimentação saudável a ingestão de açúcares de absorção rápida deve ser até 10% do Valor Energético que precisamos num dia.
*Deve ser evitada uma alimentação rica em gorduras já que contribui para a intolerância à glicose, excesso de peso, aumento de colesterol, aterosclerose, todos estes factores de risco para Doenças Cardiovasculares. Estudos referem que o risco de desenvolvimento de Doenças Cardiovasculares é muito superior em doentes com diabetes. Numa alimentação saudável a ingestão de gordura saturada deve ser até 7% da energia total diária, o colesterol deve ser consumido até 200mg/dia e as gorduras trans devem ser evitadas.
*O álcool pode ser consumido, no entanto em quantidades moderadas e durante as refeições para prevenir hipoglicemias. As recomendações diárias são de 1 copo de vinho para mulheres e 2 copos de vinho para homens. A ingestão de álcool em quantidades moderadas pode ter algum efeito protector cardiovascular, mas em quantidades excessivas têm graves consequências para o nossa saúde.

Alimentos recomendados

*Consumo diário de frutas, hortícolas, cereais pouco refinados e leguminosas, alimentos estes bastante ricos em vitaminas, minerais, antioxidantes e fibras. Os alimentos ricos em fibras são importantes nestes doentes já que estudos referem que além de reduzirem a glicemia após a refeição, reduzem os níveis plasmáticos de colesterol, aumentam a saciedade, ajudam a controlar o peso e controlar a motilidade intestinal.
*As gorduras que devemos ingerir são essencialmente as gorduras monoinsaturadas existentes no azeite, óleo de amendoim e que são responsáveis por aumentar o bom colesterol; as gorduras polinsaturadas, nomeadamente os ácidos gordos ómega 3 existentes no epixe gordo devem ser consumidos até 2 porções por semana porque diminuem o risco de doença cardiovascular.

Alguns conselhos:

*Os diabéticos devem comer várias vezes ao dia e a horas regulares fazendo no mínimo 6 refeiços diárias;
*Priveligiar os métodos de confecção saudáveis como o uso de especiarias e ervas aromáticas em detrimento do sal, os grelhados, assados com pouca gordura, cozidos;
*Mastigar calmamente;
*Aprender a ler os rótulos dos alimentos para fazer as melhores escolhas possíveis;
*Beber 1,5-3litros água por dia.

Fontes:

- Escott-Stump S, Kathleen Mahan L. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. Saunders Elsevier; 2008; 12ªedição.

- American Diabetes Association. Diabetes Care January 2011 vol. 34 no. Supplement 1 S1-S2.